Pleroma heteromalla
Associação
Mãe-da-Lua
Início
Contato
Aves
Mamíferos
Flora

Bacurauzinho
Chordeiles pusillus
Least Nighthawk
Família: Caprimulgidae

Segundo Dickermann 1988, Chordeiles pusillus pode ser subdividido em 6 subespécies, e 3 destas occorrem no Nordeste:

novaesi, Piauí e Maranhão,
xerophilus, Paraíba,
pusillus, Bahia e Goias.

Na mesma publicação, Dickermann também sugeriu que dois espécimens do Ceará, ainda não identificados, poderiam pertencer a uma subespécie nova.

Sinónimos: Chordeiles pusillusGOULD 1861;   

Bacurauzinho (Chordeiles pusillus)
05/11/2010; Fazenda perto de Floriano, Piauí, Brasil. Lente 300 mm f2.8.

Figura 1. Sem querer, assustei este bacurau no seu lugar de descanso no chão, numa colina com muitas pedras, algumas rochas, e vegetação esparsa, em Cerrado secundário. O vi voando e depois pousando não muito longe de mim, de novo no chão pedroso. A camuflagem da plumagem é muito eficiente, e eu não teria achado a ave de novo, se não tivesse visto aonde ela pousou.

Identificação como Chordeiles pusillus é baseado em parte na sua aparência no voo, quando ele mostrou uma faixa clara estreita, porem distinta, na margem posterior das asas. Esta faixa é formada pelas extremidades brancas das rêmiges secundárias, e pode destacar-se bastante (Sick 1997, Gwynne et al. 2010).

Não ouvi a nossa ave vocalizando no dia que fiz as fotos, porém algumas semanas depois, gravei canto e chamadas de Chordeiles pusillus na redondeza.

Início da página
Bacurauzinho (Chordeiles pusillus)
05/11/2010; Fazenda perto de Floriano, Piauí, Brasil. Lente 300 mm f2.8.

Figura 2. Detalhes da ave da fig. 1.

Imediatamente depois da curva da asa, nota-se uma área com cores salientes: dorsalmente, preto e marron (rótulo A), ventralmente e posteriormente principalmente ruivo (rótulo B). A designação anatómica desta parte da plumagem é "parte dorsal das coberteiras secundárias médias e pequenas" ou algo equivalente (Juana 1992, Clark 1993, Sick 1997).

Os desenhos técnicos disponível na literatura não mostram a área depois da curva da asa nas mesmas cores. Fig. 3 em Cleere 1999 exibe uma área uniforme, ruiva, que contrasta com o resto da asa. Fig. 2 em Mata et al. 2006, p. 253, e a figura em Gwynne et al. 2010, p. 137, não indicam nemhuma coloração especial desta seção.

Porém, veja também esta foto, bastante parecida com a minha, de Mauricio Mercadante no wikiaves.

Suppostamente, a discrepância entre as fotos exibidas aqui, e as figuras na literatura, pode ser explicada com diferenças entre as raças, entre plumagem reprodutiva e de descanso, etc. Porém, por enquanto, não temos dados detalhadas para confirmar isso.

Início da página
Bacurauzinho (Chordeiles pusillus)
05/11/2010; Fazenda perto de Floriano, Piauí, Brasil. Lente 300 mm f2.8.

Figura 3. Esta foto é provavelmente do mesmo bacurau que as fotos mostradas acima. A imagem não é nítida, porém é possivel ver uma parte do lado inferior listrada, que não aparecia nas figuras 1 e 2.

Início da página